Fechar
Página inicial Últimas Notícias Cem anos da Semana de Arte Moderna

Cem anos da Semana de Arte Moderna

Publicado em 14/02/22 14:46 , Atualizado em 14/02/22 15:11 | Acessos: 762
Anúncio da participação de Villa-Lobos na Semana de Arte Moderna (1922)
imagem sem descrição.

Há cem anos, o público do Theatro Municipal de São Paulo presenciava um evento que, posteriormente, viria a ser considerado o principal marco da modernização das artes e do quadro cultural brasileiro: a Semana de Arte Moderna. Heitor Villa-Lobos foi o único compositor brasileiro com obras apresentadas nos três dias de programação, e executadas por ninguém menos que a pianista Guiomar Novaes, além de um time de músicos de renome do entorno de Villa-Lobos: os pianistas Lucília Villa-Lobos (primeira esposa do compositor), Frutuoso Viana e Ernani Braga, o violoncelista Alfredo Gomes (neto de Carlos Gomes) e a violinista Paulina d'Ambrósio, entre outros. 

Em homenagem ao centenário, o Museu Villa-Lobos apresenta, ao longo da semana, uma série de postagens sobre algumas das obras de Villa-Lobos executadas na ocasião.

E esta é uma dica para quem quiser saber mais sobre o assunto: em 2012, nas comemorações dos 90 anos da Semana, o Museu Villa-Lobos lançou uma publicação com três artigos sobre a participação de Villa-Lobos no evento: "A consagração do maestro", do jornalista da 'Folha' Marcos Augusto Gonçalves, "A música de Villa-Lobos na Semana de Arte Moderna de 1922", do musicólogo Paulo de Tarso Salles (USP), e "Da participação: Villa-Lobos, a Semana de Arte Moderna e a construção da nação", do antropólogo Paulo Renato Guérios (UFPR). Os artigos fazem parte do 14º volume da série "Presença de Villa-Lobos", que você baixar aqui.