Instituto Brasileiro de Museus

Museu Villa-Lobos

Nova identidade visual do MVL

publicado: 11/11/2020 12h23, última modificação: 19/11/2020 12h59

Mudanças destacam a modernidade da obra de Villa-Lobos e a maior inserção da instituição na cultura digital

Aos 60 anos de idade, e para marcar o início do Festival Villa-Lobos 2020, o Museu Villa-Lobos estreou no dia 9 de novembro uma nova identidade visual.

O novo logotipo da instituição, trabalhado sobre as letras M, V e L, busca representar a liberdade artística e a originalidade da obra de Heitor Villa-Lobos (1887-1959) ressaltando sua afinidade com o modernismo brasileiro. O traçado geométrico, a liberdade formal e o minimalismo estético dão o tom da nova identidade visual do Museu, criado em 1960 com o objetivo de preservar e difundir aspectos da vida e da obra de Villa-Lobos.

Com a renovação, buscamos representar melhor não só a genialidade criadora do compositor, como também a maior presença digital do Museu Villa-Lobos – um processo já em curso nos últimos anos mas que foi acelerado pela pandemia e pela necessidade de distanciamento social. 

A nova paleta de cores adotada pela instituição – para além dos tradicionais verde e amarelo presentes no logotipo anterior – simboliza a diversidade cultural brasileira. 

O projeto foi viabilizado graças ao fomento do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (Ministério da Justiça e Segurança Pública), que financia uma série de ações e projetos atuais do museu em parceria entre o Fundo e o Instituto Brasileiro de Museus.

O processo foi acompanhado de perto pela Coordenação de Promoção e Gestão da Imagem Institucional (CPGII/DDFEM), unidade do Ibram responsável por propor e coordenar medidas de valorização da imagem dos museus. A empresa Plano B Design, do Rio de Janeiro, assina a criação.

Histórico de criação

O logotipo anterior do Museu Villa-Lobos – uma clave de sol em um pentagrama sombreado com as cores verde e amarela – foi criado em 1986, no contexto da mudança de sede (do Palácio Capanema, no centro do Rio, para o bairro de Botafogo, na zona sul) e das comemorações do centenário de nascimento do compositor.

Em 2018, na gestão da diretora Claudia Castro e no contexto de elaboração do plano museológico atual, o MVL contratou consultoria para estudos de reposicionamento de marca. Foram ouvidos membros da equipe do museu, vizinhos, músicos e visitantes, e um dos produtos do trabalho foi o briefing de marca, elaborado pela empresa Museu Vivo em 2019, com o objetivo de criar diretrizes para a elaboração de novo logotipo e nova identidade visual, tendo em vista o perfil e os atributos (da instituição e da persona de Villa-Lobos) apontados pela consultoria.

Do briefing, destacamos as seguintes orientações: “Espera-se uma marca econômica, simples de ser reconhecida (‘sem muitos penduricalhos’) e moderna. A nova marca precisa possuir flexibilidade para se adaptar às diferentes mídias, peças e pontos de contato com os públicos.” 

Outra orientação destacada pela consultoria é que “A música é um elemento marcante, e vem imbuída da imagem de Villa-Lobos e da missão do museu; não é exatamente o destaque da imagem da marca, mas algo a ser vivido através da experiência com o museu e suas atividades”.

Em 2019, com recursos do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (Ministério da Justiça e Segurança Pública), o MVL iniciou o processo de elaboração da nova identidade visual, concluída este ano. A empresa Plano B Design captou a proposta e criou a nova identidade visual para o MVL.